01 Junho 2017
Esqueça a racionalidade, longas análises ou ponderações. Em menos de 10 segundos você escolhe, na prateleira do supermercado, o produto que vai levar. E isso nem sempre se relaciona com uma marca conhecida ou o apelo do preço. Em muitas ocasiões você vai pegar exatamente o que chamou a sua atenção e fez os seus olhos brilharem.

“Precisamos ajudar o cérebro a classificar o que é bom para o consumidor, assim, quando olham para a embalagem reconhecem o produto de acordo com a sua necessidade, por exemplo, se é uma bebida nutritiva ou um isotonico para repor as energias. Isto acontece de forma inconsciente na maioria das vezes”, afirma Katy Nagib, gerente de inteligência de design da Tetra Pak. A maioria das pessoas tem apenas uma percepção e, sem saber, acaba definindo sua escolha a partir da análise da embalagem. “Entender isso é vital para construir o seu design”, complementa.

Segundo pesquisa da revista Marketing Directo, 64% dos consumidores adquirem um produto porque o design lhe chamou a atenção nas prateleiras. Para eles, além de visualmente atrativas, as embalagens devem proteger o conteúdo em caso de queda, ser práticas para abrir e consumir e, ainda, ambientalmente responsáveis.

Com 60 anos de história no Brasil, a empresa faz diversos estudos para compreender o consumidor brasileiro, seus hábitos e preferências. De dimensões continentais, o País abriga muitas peculiaridades e essa variedade também é levada em conta quando se constrói um projeto. O objetivo é unir tendências globais e elementos locais, satisfazendo o desejo do público almejado. 

Um trabalho de co-criação entre diferentes especialistas da Tetra Pak indica formato, tamanho e apresentação ideal para cada segmento. “Se estamos observando uma tendência por embalagens renováveis, buscamos parceiros que nos ajudem a desenvolver insumos e matéria-prima que atendem esta demanda. Foi assim que a desenvolvemos, por exemplo, as tampas renováveis a partir da cana-de-açúcar”, explica  Katy . Dessa forma, os designs das embalagens da Tetra Pak têm sempre uma novidade, mesclando tradição e inovação nas caixinhas. Afinal, quem dá a palavra final é o consumidor. 

Ao infinito e além

Os consumidores estão acostumados com novidades diariamente e se envolvem emocionalmente com elas - cada vez mais. Como resultado, esperam por uma experiência "extra" em cada compra. “É fundamental que as marcas ofereçam experiências memoráveis. O público é exigente, e se suas necessidades não são satisfeitas, deixa de comprar o produto novamente”, ressalta a gerente.

Por isso o trabalho é meticuloso ainda no processo de criação. Após passar por etapas como análises de tendências, estratégia de produto, validação da ideia e prototipagem, a novidade já pode ganhar o mundo. 

A partir daí entram as táticas de branding. “Definir como um produto vai se apresentar nas prateleiras faz parte da construção de sua imagem. O branding é responsável pela gestão das marcas e envolve aspectos como linguagem, posicionamento e até nome”, afirma Katy.

A necessidade de ir além faz com que as marcas se atrevam a desafiar códigos estabelecidos, criando novos símbolos para expressar sua funcionalidade e se destacar na prateleira. Os selos de alergênicos, por exemplo, garantem o consumo para pessoas com alguma intolerância específica, da mesma forma que informações nutricionais facilitam a escolha de quem deve ingerir menos açúcar ou gordura. 

“O design também ajuda a melhorar a qualidade de vida do consumidor. E isto impacta em embalagens cada vez mais funcionais, que podem ser transportadas e abertas por crianças sem risco algum, garantindo a segurança alimentar. Um exemplo foi a criação do canudo maior e dobrável para produtos em caixinhas voltados ao público infantil”, cita.   

Uma questão de detalhe

Com as prateleiras dos supermercados cada vez mais cheias, marcas bem-sucedidas conseguem se destacar por meio de mensagens simples e diretas. Embalagens premium com elementos metálicos ou desenhos bem trabalhados, chamam a atenção por sua elegância e ideia de alta qualidade. Já designs cleans, em apresentação meticulosa, projetam autoconfiança e, consequentemente, dão aos produtos uma aparência diferenciada. 

Por fim, há o poder das cores – um efeito incomparável quando se trata de reconhecimento de marca e sinalização para os consumidores. Não é à toa, portanto, que grandes players têm suas próprias paletas de tons e nuances.  

“Detalhe é algo que considero mágico no design de embalagem. Não existe algo específico que funcione com tudo; o importante é criar uma experiência memorável para aquele consumidor específico. Ele deve sentir que o produto foi feito para ele e que conversa com ele, caso contrário a conexão se quebra”, reforça Katy.

 
6 tendências de embalagens
  • Sustentabilidade – matérias-primas de fontes renováveis e que possam ser recicladas; 
  • Informação – rótulos explicativos e de fácil compreensão
  • Saúde - alimentos de alto valor nutricional
  • Praticidade – produtos que se adequem ao dia a dia acelerado;
  • Valores - conexão entre consumidores e marcar 
  • Experiências - Novos sabores, formatos e design

<< Voltar