04 Dezembro 2017
Não há dúvidas que a indústria de alimentos e bebidas deve focar na segurança e confiabilidade. Com o aumento da pressão sobre os custos na indústria, alguns produtores estão se voltando à automação e ferramentas digitais para produzir de forma mais eficiente e obter informações perspicazes para a tomada de decisão – tudo isso mantendo altos padrões de segurança e qualidade dos produtos. Fazer essa escolha, contudo, pode soar disruptivo para uma indústria que se baseia em uma operação mais tradicional, que envolve, geralmente, equipamentos antigos.

A digitalização de processos e serviços, junto com a gestão básica de processos, tem um importante papel no apoio a fabricantes de alimentos e bebidas para coordenarem complexidades operacionais. Isso significa uma grande oportunidade para fábricas não apenas otimizarem a segurança, mas também aumentarem a eficiência e a confiabilidade. 

Conectividade é a chave para o movimento da digitalização. Quando a conectividade é abordada estrategicamente, ela cria soluções para racionalizar as operações, assegura qualidade e reduz o risco de segurança alimentar. Isso porque ela melhora a comunicação entre funcionários e equipes de apoio, aumentando significativamente o acesso a dados e análises. Se surgirem problemas, eles podem ser resolvidos rápida e efetivamente, sem impactar a performance da produção e protegendo os fabricantes de erros que podem comprometer a segurança alimentar e o relacionamento com o consumidor final.

O crescimento da sofisticação das ferramentas na indústria também possibilita alto nível de rastreabilidade na fase da embalagem. Isso significa que empresas de alimentos e bebidas podem acompanhar os produtos em todo o seu ciclo até o consumidor, por meio de sistemas automatizados que conectam e controlam a operação completamente – desde a recepção de matérias-primas até a embalagem e o transporte de produtos em um único sistema de gestão. 

As novas tecnologias permitem conectividade e análises aprimoradas para reduzir o tempo de parada da produção por meio de manutenção preditiva e rápida resolução de problemas. 

Trabalhando com seus dados recém-descobertos 

Aqueles que adotarem de fato a digitalização encontrarão uma grande variedade de dados que contribuem com a produtividade e alta qualidade. Contudo, os dados só ganham esse poder quando combinados com conhecimento e expertise para saber o que fazer com eles. Portanto, a digitalização não elimina a necessidade de experiência profissional. Pelo contrário, é fundamental que os profissionais sejam treinados sobre como transformar análises em ideias factíveis. No fim do dia, trata-se de capacitar as pessoas a tomar as melhores decisões e ações.

Novidades emergem constantemente no mundo digital, acelerando o desenvolvimento. Para aqueles fabricantes que abraçaram a digitalização, a recompensa é uma vantagem competitiva em um mercado dinâmico e em rápida mudança.

Para se aprofundar no tema, a Tetra Pak promove o webinar “Automação e Digitalização: a chave para a vantagem competitiva na indústria de alimentos e bebidas”, no dia 5 de dezembro, às 14h (horário de Brasília). Além de conhecer o portfólio de sistemas e serviços da companhia, os participantes receberão dicas de como aumentar a eficiência operacional, diminuir custos com trabalhos manuais, reduzir gargalos na produção, criar dados robustos em rastreabilidade e se preparar para as tecnologias do futuro.




 
<< Voltar