08 Fevereiro 2017
De acordo com a Consultoria Wipro, recalls de alimentos podem acrescentar aos negócios um custo de cerca de US$ 20 bilhões todos os anos nos EUA. Somado a isso, ainda as vendas perdidas, os potenciais riscos à saúde, a exposição a processos e danos à reputação da companhia: está bem claro que segurança alimentar é um tópico que merece muita atenção.
 
Um artigo no Huffington Post descreve como novas tecnologias cumprem um importante papel no aumento da segurança alimentar em todo o mundo; a rastreabilidade dos alimentos é uma peça chave nesse cenário. Na Global Food Safety Conference 2015 (GFSC), milhares de líderes em alimentos e bebidas participaram de discussões sobre como a tecnologia em rastreabilidade dá aos stakeholders (incluindo produtores, varejistas e consumidores) fácil acesso a informações detalhadas sobre o histórico do produto e seus ingredientes ao longo de todo o ciclo de produção. Essa tecnologia pode aumentar a segurança alimentar, o lucro da indústria e a confiança do consumidor.
 
Mas, afinal, como os líderes da indústria de alimentos podem utilizar a tecnologia de rastreabilidade e outras ferramentas para impulsionar a segurança de seus produtos e contribuir com a cadeia de valor?
 
  • Conquiste a adesão em toda a empresa: No painel “Segurança alimentar: comprometimento a partir do topo”, apresentado na GFSC, os expositores discutiram como os gerentes no escritório de uma indústria de bebidas devem apoiar os encarregados pela segurança da empresa. É necessário criar uma cultura da segurança alimentar e ganhar o comprometimento de todos na companhia.

    Encorajar a adesão e o comprometimento de todos os funcionários pode aumentar o bom desempenho do programa de segurança da empresa e também minimizar riscos. Um treinamento adequado e o uso de um sistema de rastreabilidade de alimentos eficiente podem aumentar a adesão.
 
  • Implante novas tecnologias: a legislação, por exemplo, requer melhorias no registro e gerenciamento de informações de produção, segurança e saneamento nas operações de alimentos e bebidas. Registros feitos a mão serão cada vez menos usuais e a informatização desses processos não será somente uma tendência, mas realmente uma necessidade.

    Plantas automatizadas permitem aos gerentes localizar informação por toda a cadeia de suprimentos, incluindo origens do material, procedimentos de processamento, informações sobre a embalagem e muito mais. Se um problema surge, a equipe pode determinar rapidamente a questão através de um computador central, que permite a tomada de decisão assertiva com muito mais agilidade que em outros tempos.
     
  • Seja transparente: A tecnologia de rastreabilidade torna possível compartilhar informações não só internamente, mas também com os consumidores. Clientes em todo o mundo estão cada vez mais interessados em saber os detalhes sobre a sua comida – a origem dos ingredientes, como eles foram cultivados e onde eles foram processados.

    A mesma lógica de comunicação utilizada pelos fabricantes, varejistas e outros produtores e distribuidores pode ser aplicada para compartilhar informações com consumidores interessados. A produtora de leite Aurora, por exemplo, está entre as empresas que promovem a tecnologia de rastreabilidade como uma ferramenta de marketing; a companhia permite que os consumidores rastreiem a jornada do leite da fazenda até a geladeira via códigos na embalagem e uma interface na web facilitada pela tecnologia PlantMaster da Tetra Pak.
<< Voltar