19 Setembro 2017
Decidir é uma tarefa difícil. Quando se tem muitas opções, então, a escolha pode ser ainda mais árdua. No caso da alimentação, as prateleiras cheias de produtos nos entregam um mundo de possibilidades e, também, muitas dúvidas. 

Em mesa redonda promovida pela Tetra Pak em parceria com o jornal Estadão, no dia 12 de setembro, especialistas debateram temas relacionados a saúde e segurança alimentar. Participaram do encontro o pediatra Jayme Murahovschi, livre-docente em pediatria clínica pela Escola Paulista de Medicina; a nutricionista Silvia Cozzolino, professora da USP e presidente do Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região (SP-MS); e o executivo Pedro Gonçalves, diretor de Marketing da área de Processamento da Tetra Pak.

Questionados sobre as regras de uma boa alimentação, todos foram enfáticos: não há uma única receita que valha para todas as pessoas. É preciso levar em conta demandas individuais, rotina e possíveis carências nutricionais. E, claro, buscar sempre o equilíbrio entre comer bem e com prazer. 

O poder da informação

“Infelizmente, hoje há muitas informações equivocadas, de fontes não confiáveis, que acabam gerando mais confusão do que esclarecimento. Por isso, é importante se orientar adequadamente, contando com a ajuda de um profissional para descobrir qual é a alimentação mais apropriada para a sua fase de vida e seu estado de saúde”, afirma Silvia. 

O acompanhamento é importante para que as informações sejam assertivas na busca por um estilo de vida mais saudável, que combata o sobrepeso e a obesidade. E os alimentos industrializados, quando escolhidos corretamente, são grandes aliados nesse processo.

“Percebemos um grande empenho por parte de muitas indústrias em manter os nutrientes naturais. Hoje, é importante saber distinguir os produtos de qualidade, que são convenientes e nutritivos”, complementa a nutricionista. 

Inovação na oferta de alimentos

Criada em 1951, a embalagem cartonada da Tetra Pak revolucionou a indústria alimentícia, juntamente com os sistemas de ultrapasteurização e pasteurização de sucos, leites e outros alimentos. 

Essa tecnologia, que elimina micro-organismos dispensando a necessidade do uso de conservantes, fez os produtos durarem muito mais tempo em temperatura ambiente antes de serem abertos. Além da comodidade, reforçou os atributos de segurança ao impedir a entrada da luz e do ar, mantendo todas as características de sabor, aroma e textura do alimento. Mais de meio século após a inovação, a empresa continua investimento em novas soluções para levar o alimento de forma mais segura ao consumidor, onde quer que ele esteja. 

“A indústria toda está se mobilizando para interagir com diferentes públicos. Antes, investíamos muito na embalagem, em formas de torná-la mais eficiente e sustentável, e hoje ampliamos esse investimento para o desenvolvimento de novos produtos, como leite com mais proteína e sucos 100% fruta, que preservam suas propriedades originais na caixinha. A ideia é compreender todo o ciclo de inovação e identificar a melhor forma de atender o consumidor na sua necessidade nutricional e estilo de vida”, comenta Pedro.
 
 
 
<< Voltar